Make your own free website on Tripod.com

                   As Raposas Globais       

 

    Sempre que são chamados a tratar dos erros da Igreja de Roma, os mais renomados pastores protestantes deste país têm-se limitado a falar das Cruzadas, da Inquisição e de outros massacres ocorridos nos séculos passados (Como se lê na Revista Graça No. 3).

    E quando chamados a prestar contas das atrocidades cometidas pela sua Igreja, nas Inquisições e no Massacre do Dia de S. Bartolomeu, tempo em que muitos milhares de Huguenotes (protestantes franceses) foram liquidados e o sangue deles formou um caudaloso rio nas ruas de Paris, os apologistas católicos invariavelmente se escondem atrás de retóricas, tais como: "era o espírito da época" ou "atos infelizes de uma era de trevas", etc. Que isso não corresponde à verdade histórica pode ser comprovado através de um exame do sangue derramado pelos Católicos, com o aval de Pio XII, em pleno século XX, há menos de 60 anos.

    Obras referentes ao assunto, como "The Vatican’s Holocaust", de Avro Manhattan e "Convert ... or Die", de Edmond Paris, são vivos documentários de que a Igreja Católica liquidou mais de 800.000 Sérvios ortodoxos na Croácia católica, durante os anos de 1941-45. Esses totais representam 40 vezes a soma fatídica da "Santa Inquisição" e do "Massacre do Dia de S. Bartolomeu". Os próprios nazistas alemães ficavam tão horrorizados com as atrocidades praticadas pelos católicos croatas, que muitas vezes tomavam conta das cidades por eles ocupadas, a fim de diminuir os massacres.

    Da próxima vez em que um católico iludido pelos sofismas de Roma tentar desmentir sua herança assassina dizendo ser "coisa do passado" peça-lhe para explicar a razão de atos de "bondade católica", na Iugoslávia, como por exemplo:

    Todas as guerras do planeta têm sido arquitetadas pela Ordem Jesuíta e muitas atrocidades têm sido cometidas pela Ordem Franciscana, ambas defendendo sua pobreza, humildade e bondade. Na Iugoslávia, os franciscanos se distinguiram em milhares de atrocidades contra os sérvios ortodoxos, principalmente contra o seu clero.

    Os Jesuítas têm como único objetivo, desde a fundação da Ordem pelo paranormal Inácio de Loyola, a dominação mundial, levando todos os habitantes da terra para o rebanho do papa.

    Os métodos empregados por esta Ordem clandestina são dignos de estudo, visto como o seu objetivo final continua em pleno vigor nas Américas, na monumental acumulação de riqueza material e nos seus atentados à Versão Autorizada da Bíblia King James.

    O modus operandi da Sociedade Jesuíta pode ser delineado pelos seus seis estágios seguintes:

  1. Educação.
  2. Doutrinação.
  3. Infiltração.
  4. Sedição (Perturbar).
  5. Sedação (Acalmar).
  6. Perseguição.

    A história dá testemunho de que a apropriação jesuíta começa invariavelmente com o estabelecimento de colégios e universidades exibindo altos graus acadêmicos, a fim de atrair os aspirantes a eruditos, da nação em vista. Esse estratagema inaugural de Educação não pode ser enfatizado demais. A apostasia é concebida sempre na sala de aula. Newman informa:
Eles descobriram muito cedo a vasta importância de liderar a mais alta educação como meio de ganhar o controle das vidas dos jovens mais habilitados e mais bem situados, fabricando servos intelectualmente treinados aos seus propósitos... A habilidade acentuada dos padres jesuítas, seus conhecimentos insuperáveis da natureza humana, sua afabilidade nas maneiras e sua notável adaptabilidade às idiossincrasias e circunstâncias de cada indivíduo, tornam-nos praticamente irresistíveis uma vez que entrem em íntimas relações com a juventude suscetível.

    Tendo iludido o estudante desavisado, encaminhando-o à excelência acadêmica, os professores jesuítas não perdem tempo em partir para o segundo estágio, que é a doutrinação. Newman declara:

    É possível que mais tempo tenha sido empregado em moldar os seus caracteres religioso e moral em completa harmonia com os ideais da Sociedade do que em assegurar uma maestria dos estudos.. Grandes números dos jovens mais desejáveis que ingressaram em suas escolas sem intenção alguma de se tornarem membros da sociedade foram ganhos através do paciente esforço dos que deles ficaram encarregados.

    Com o abandono natural de várias classes graduadas, o terceiro estágio inevitável – a Infiltração – tem início. Por causa do seu treinamento superior e abrasadora convicção, muitos dos melhores graduados logo vão ocupar posições de liderança no governo, no comércio e nas forças armadas. Newman prossegue:

    Seu zelo proselitista os impulsiona às regiões adjacentes e, através do esforço, a ganhar de volta à fé católica os que tenham se envolvido em "heresia". Comunidades inteiras foram reavidas em tempo incrivelmente curto..

    Esta absorção na sociedade secular tem sido facilitada pela única isenção permitida à Ordem Jesuíta, isto é, o uso do hábito religioso. Edmond Paris comenta sobre esta espantosa ordem secreta:

    Os trinta e três mil membros oficiais da Sociedade operam no mundo inteiro na capacidade do seu pessoal, como oficiais de um exército verdadeiramente secreto, contendo em suas fileiras chefes de partidos políticos, oficiais de altos escalões, generais, magistrados, físicos, professores de faculdade, etc., todos eles batalhando para realizar em sua própria esfera – a Opus Dei, com absoluto empenho, os planos do papado..

    A capacidade de se infiltrar com bastante sucesso em todos os países tem se tornado possível através do quarto estágio – a Sedição. Um verdadeiro Jesuíta é a personificação exata da I Timóteo 4:2

    ... Pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência.

    Na Inglaterra eles começaram a se infiltrar, no século 16, usando mil disfarces, inclusive as togas dos pastores anglicanos.

    Através dos séculos, os Jesuítas têm deixado bem claro que não hesitarão diante de coisa alguma, a fim de atingir os seus propósitos de subjugar o mundo inteiro ao Vaticano. Por causa de suas incríveis doutrinas – a da restrição mental e a do probabilismo - os Jesuítas se tornam confiáveis, até serem desmascarados.

    O engodo foi instituído muito cedo em seu treinamento, quando foram ensinados a:

    ... Manter suas cabeças levemente inclinadas, sem movê-las para a direita nem para e esquerda.

    Não levantar a vista e quando falam com alguém não devem fixá-lo diretamente nos olhos, de modo serem vistos apenas indiretamente.

    É na área da política mundial que os Jesuítas mais têm se destacado. Sua reputação em matéria de subterfúgio, espionagem, subversão e coisas piores é bem conhecida pelos pesquisadores e estudantes da História Mundial. Cinqüenta e uma expulsões documentadas dos Jesuítas pelos governos do mundo dão uma boa indicação de que esses "missionários" fazem mais do que simplesmente distribuir folhetos.

    De fato os "filhos de Loyola" são tão diabólicos que têm sido expulsos até mesmo de países notadamente católicos. Em 06/04/1762, a França lhes deu um pontapé, descrevendo suas doutrinas como: perversas. Destruidoras de todos os princípios religiosos e honestos. Insulto à moral cristã. Perniciosas à sociedade civil. Hostis ao direito da nação, ao poder real e a segurança dos soberanos e à obediência dos súditos. Capazes de deflagrar os maiores distúrbios nos estados, de conceber e manter a pior espécie de corrupção nos corações humanos.

    O segredo da longevidade dos Jesuítas, tendo em vista a ampla resistência por parte dos governos, tem sido a sua obstinação de entrar novamente nos países de onde foram expulsos, onde e quando isso for possível. Lamentando esse ressurgimento da atividade jesuíta, John Adams, segundo presidente dos Estados Unidos, escreveu a Thomas Jefferson, em 1816: não me sinto feliz com o renascimento dos jesuítas. Enxames deles se apresentarão sob os mais variados disfarces jamais usados, ... como impressores, escritores, publicadores, professores escolares, etc.

    Se já alguma vez uma associação de pessoas mereceu condenação eterna, neste mundo ou no inferno essa é a Sociedade de Loyola.

    Infelizmente, Thomas Jefferson, terceiro presidente americano, era bom demais para acreditar na maldade do "filhos de Loyola" e, a partir de então, eles foram penetrando no país protestante mais promissor das Américas e no final do século XX já são praticamente os donos desse país...

    Intimamente relacionada com a Sedição vem o quinto estágio do círculo jesuíta – a Sedação. Quando se pensa no arranjo recíproco de dois conceitos, deve-se relembrar a antiga questão de "quem veio primeiro – o pinto ou o ovo? "

    Aliviar a consciência de um membro da igreja sediciosa é um dos meios mais vigorosos usados pelos jesuítas, a fim de perpetuar suas próprias atividades. Este ministério "aliviador" tem sido executado através do confessionário. Este círculo vicioso é visto quando a consciência já sedada é, então, incitada a praticar mais Sedição, a qual, por sua vez, precisa de mais Sedação. Newman declara:

    Desde o princípio eles usaram sempre o confessionário como meio de dominar as almas dos homens e mulheres, a fim de obter um conhecimento dos assuntos religiosos e políticos do lugar, os quais servissem aos objetivos da Sociedade. Os filhos e filhas dos ricos e nobres eram buscados por todos os meios para ficar sob a sua influência e para tanto os Jesuítas logo se tornaram os confessores favoritos na corte imperial e em muitas cortes reais da Europa. Era o seu objetivo constante tornar o seu sistema confessional tão atraente para os ricos e nobres que sempre vinham procurá-lo espontaneamente. Para esse fim o seu sistema casuísta de teologia moral foi elaborado, no qual eles tinham meios de apaziguar as consciências de seus súditos em todos os tipos de mal feitos.

    Com estes cinco passos colocados, as raposas globais de Loyola já quase conseguem ter o caminho aberto para fazer com que qualquer nação esteja de volta ao rebanho papal. Resta apenas o último passo, o de "afiar as garras", e deslanchar a Perseguição.
    Em tempos passados, após terem moldado o governante à sua vontade e o transformado em instrumento subserviente de sua política, eles sempre ficaram ao lado deste ditando as medidas a serem empregadas para a erradicação da heresia e completa reforma do seu reino, conforme o ideal jesuíta, e sempre estavam prontos, com total autoridade papal, a conduzir o seu trabalho inquisitorial.

    Os Jesuítas são eternos porque dentro deles foi insuflado um poder indiscernível e insuperável (através dos "exercícios espirituais") provindo do "pai da mentira". Agora a Perseguição foi substituída pelo enganoso Movimento Ecumênico, uma vez que já não lhes é possível matar, roubar e destruir, como o faziam antigamente. Com o tempo, eles chegaram à conclusão de que não poderiam vencer os protestantes pela força... Então resolveram se unir aos mesmos, a fim de envenenar-lhes as mentes com as suas doutrinas liberais e anti-bíblicas. O resultado podemos ver atualmente, com os vários acordos feitos entre católicos e protestantes, levando os cristãos à apostasia que prevalecerá, a partir do Ano 2000.

    Através do Liberalismo e do Movimento Ecumênico, a maioria dos protestantes foi convencida a aceitar as doutrinas de Roma, como se elas fossem realmente bíblicas. Agora, essas raposas globais já estão no controle econômico, político e religioso do mundo ocidental e pouco falta para o tempo em que reinarão soberanas, através do "homem da iniquidade", a fim de destruir todos os que não rezarem pelo catecismo de Roma.

 

Mary Schultze

Tradução e adaptação do capítulo. 13 do livro:

"Final Authority", do Dr. William P. Grady.

Home